Pesquisar

A Arte De Ser Mulher



Hoje uma dor cresce em meu peito
Dor que sempre existiu
Passarinho engoliu
E agora quer voar.
Cores
Sabores
Dores
Escolhi a arte para me vingar
Hoje não quero paz
Hoje eu quero falar
Hoje eu quero andar
Na rua despida
Alma
Mente
E corpo
Quero andar em meio a chuva
Cai aqui no meu colo
LOUCA TPM
Sangro impura
enquanto ando, formando um cheiro
E que meu cheiro me fortaleça
Em suas narinas cresça
E você sinta o meu suor.
Com a arte, ando em câmera lenta como em um clipe
Numa ilusão de me despertar e me libertar
Com a arte me ensino a ser,
a transparecer,
a doer,
a mexer,
a envolver.
Em um grito sento no asfalto
Carrego meu filho no colo
Onde fui me perder?
Se ao menos eu soubesse diferenciar o que quero ser
do que querem que eu seja
Se ao menos eu soubesse o que é ser mulher
O que é ser um ser desvinculado de você
Homem
Me usa
Me bate
Me taxa
Me mede
Me rotula
Me usa
Me abusa
Me esconde
Me sussurra, me leva prum canto, pergunta se eu aguento.
E se não aguentar?
Me embebeda, me convence, me fala de direitos iguais
Me deixa no chão, não olha no meu olho
Me usa
Me bate
Me molda
Diz que sou sua mulher e mulher sua é de tal jeito, tal medida
É santa, é puta
É pura
Luz branca que me come
me apaga
me faz limpa
me faz santa
Branca
Do véu ao vestido
Romântica
Virgem
Rosinha
Endireitou o cara de balada
Pelas costas, baleada
Traição
Na cama, mulher casada finge orgasmo
Sexo?! Nunca segurou homem nenhum
Amor também não
Você já foi amada?
Precisa ter amor próprio, hein
Para que tanto amor próprio se no final, odeiam e rasgam minha pele?
Aprenda a me amar você
Aprenda a me ver
Aprenda que eu quero ser...
muito mais
Aprenda que eu posso e eu vou
Aprenda a me aplaudir
Aprenda a subir comigo
Desejada
Desejo
Culpa
Minha arte é ser mulher
Mas que mulher se nunca fui o que quis?
Que mulher se quando me olham não posso ser?
Qual a minha arte que me revela?
Não tem saída.
Qual a arte de não ser mulher vencida?
Qual a arte de ser mulher presa na dor de ser mulher?
Qual a arte que me liberta para ser mulher que respira?
Qual a arte que me dá voz para dizer o que é ser mulher?
Eu não sei,
Eu não sei o que é ser mulher.
Nem mesmo quero deixar de ser
Eu só quero ser a arte que nos faz mulher amada.

-Luísa Monte Real

Me Inundei de Você e Odiei


    Eu te odeio. Eu te odeio porque me sinto menor sem você. Eu te odeio porque não quero que faça sentido não ter você. Eu te odeio porque me sinto impotente. Eu te odeio porque permiti me inundar com seu vazio. Eu te odeio porque mesmo encontrando o nada, eu construi alguma coisa. Eu te odeio porque te carreguei. Eu te odeio porque acredito que a gente escolhe como lidar com a situação e tem dias que eu só sei doer. Eu te odeio porque eu estou cansada. Eu te odeio porque a cada dois passos que eu dou para frente, eu volto um atrás. Eu te odeio porque sinto sua falta. Sinto falta de todos os milhares de filmes e séries que a gente via juntos, e por que raios isso era tão especial pra mim? Sinto falta de compartilhar minha vida com você. Falar toda hora sobre nada e tudo. Te encher o saco e me sentir amada, acolhida. Eu te odeio porque sinto falta de todas essas coisas, mas não acho que você mereça. Não mais. Não hoje. Não depois da forma que me atacou com uma flecha bem na ferida me fazendo cair de uma forma que nem lembrava se caia de baixo ou de cima. Não depois de enxergar que você não tem mais nada a me acrescentar além de dor de cabeça. E eu entro em surto. Porque sinto sua falta, mas se penso em você aqui, comigo agora, só consigo imaginar uma coisa: discussão, decepção, cansaço da sua imaturidade, do seu vazio, da sua alma perdida. É porque na real, eu sinto falta da pessoa que você era antes de me perder. Mas aquela pessoa não volta mais e eu preciso que alguém me diga isso. Aquela pessoa não existe mais. Aquela pessoa está por aí se perdendo e sendo escondida como você sempre fez consigo mesmo. É porque eu não consigo te perdoar em como tudo estava sendo tão leve, no esforço que fiz para que fosse saudável, e você teve que virar esse monstro e me engolir numa dor de ego desesperado.
       E eu odeio que eu tive nojo de você, eu odeio que eu tive desprezo por você. Eu odeio o quanto você foi fraco. Eu odeio o tanto de esforço que você fazia para provar a mim o príncipe que você se tornara, como se eu tivesse que te aplaudir ou dar nota 10 depois de um ensinamento que te dei. Eu odeio que você falou que vai lutar por ela como eu lutei por você, querendo mostrar que vai acertar dessa vez, só que do seu jeito, esse jeito razo bem mais ou menos, porque "queremos coisas diferentes" e você não tem tempo. Eu odeio que você tava tão preocupado com a minha aprovação que nem ao menos percebia que vomitava dentro da minha boca um mar de podridão que descia arranhando e intoxicando tudo. Eu odeio ser seu porto seguro quando nem mais pier eu tenho. Eu odeio seu orgulho que você sabe, não se sustenta comigo e você desaba.
     Meu amor, e você veio cheio de si, e você veio cheio de orgulho pronto para ganhar o troféu. E eu te dei uma rasteira para voltar para realidade e você ainda teve a coragem de desabar em mim?! Eu odeio que você não se calou e não foi embora. Odeio que você se despedaçou, se despiu sem que eu quisesse ver. Eu odeio que você provocou, não aguentou o troco e ainda achou que tinha o direito de derramar seu sangue sobre o meu. E agora eu odeio que no meu sangue escorre o teu e eu não sei mais identificar a dor que é minha ou sua. Eu odeio que a sua dor agora queima toda vez que meu coração bombeia. E eu odeio que as coisas mais bonitas que senti foram por você. Odeio achar que ainda é o mais bonito e com sentido em mim, enquanto parte de mim diz que para você nem é mais e talvez nunca nem foi. E eu racionalmente, me acho tão mais merecedora, mais especial do que você só para fingir que, na verdade, não sinto o oposto, e que não te coloco num encantamento. Não deveria, mas me sinto traída por mim mesma. Mas odeio mais ainda que parte de mim te entende e te respeita. Parte de mim é humilde, te permite e quer ver você crescer, parte de mim te ama como irmã desde sempre e reconhece que te ama, mas que você não é merecedor de meus desejos e de minhas fantasias mais profundas, apesar de ainda sentir e me culpar friamente por isso. E eu odeio como me sinto o pó sem ter alguém que nem se quer faz questão de ter alguma relevância na própria vida. Mas tudo o que eu odeio é porque amo. O que odeio é amar essa coisa masoquista de te gostar. - Luísa Monte Real

Desenlouqueça e Vá

     Você perguntou se você era a pessoa certa e eu respondi que eu era se eu fosse a sua. Você disse que queria me fazer a mulher mais feliz do mundo. Que essa sua vontade era maior do que qualquer coisa e que o medo. Você me chamou para morar com você. Você disse que eu era sua vida. Você disse que me amava, mas amava de verdade. Você disse que não conseguia se afastar de mim por nada nesse mundo. Você disse que comigo era diferente, que eu era perfeita. Você me chamou para viagens. Você me pedia em casamento todos os dias. Você disse que eu era o motivo de não mais acordar mal humorado de manhã. Você disse que eu te fazia feliz. Você disse que sorria ao ouvir minha voz. Você disse que não conseguia mais dormir sem mim. Você disse que não acordava quando eu tinha ataques de tosse no meio da noite. Você pedia para eu te acordar se eu chorasse. Você disse que eu era o tipo de garota pacote completo. Você disse que não me largaria. Você disse que eu ficava linda com o cabelo de qualquer jeito. Você disse que queria pegar minha coberta emprestada para dormir com o meu cheiro. Você disse que eu era bonitinha (fofa no seu dicionário) e muito engraçada. Você disse que me queria. Você disse que eu era a certa. Você disse que eu era a miss universo gostosa. Você disse zilhões de vezes que eu era linda. Você disse que nunca havia sentido igual. Você disse que eu era diferente...
  Você disse e eu sinceramente queria que houvesse alguma maneira de você permanecer aqui. Mas nós dois já entendemos que não dá. Eu pelo menos, já percebi. Então vai, vá de uma vez sem olhar para trás, tá bom? Vá sem medo de bater suas asas e encontrar um novo lar. Vá sem medo de ser feliz de novo. Vá e deixa ser presente em um novo alguém tudo o que me disse e que eu te disse. Vá e me transforma numa fotografia com a moldura que preferir em algum canto de entulho da sua casa. Vá porque você preso a mim prende minhas asas em uma corrente que talvez só eu veja. Sei que quando a corrente solta um pouco eu me sinto liberta, mas ela deixa aquela dorzinha que dá vontade de voltar e não se mexer por ter prendido por muito tempo. Vá, porque se você fica, você não fica por inteiro e eu sou capaz de me engolir para matar minha sede de você. Vá, porque meu sentimento por quem sou com você é grande e me possuo numa vontade de ter um futuro novamente com você. Quem é você afinal, hein?! Quer ir para não ser, mas quer ficar para sentir. Deixa eu te sentir. Te sentir é tão bom. Só mais uma vez. Ou vá logo, pegue o voo mais cedo, corra para a sala de embarque, não perca mais essa chance! Por favor, não me enche de vontade de você porque já não mais posso suportar te superar tantas vezes. Já não posso mais suportar ter que me convencer de que você poderia me dar tão mais... por que não se entrega? Por que desenlouqueceu?! Hein?! Agora talvez seja tarde. Agora se for para você se enlouquecer de volta, vai ter que virar a cabeça, vai ter que me tirar o ar e me dar a certeza de que não tem medo não, que não desenlouquece nunca mais, porque na verdade nunca deixou de ser louco, só covarde. Me suga por inteiro ou vá rapidinho, porque meu amor é anseio e não posso esperar por controle. Me descontrola ou vá embora. Me mata de uma vez ou me deixa viver. Que seu fogo queima e eu entrego o meu a você, mas se seu fogo apaga eu me faço reacender. Só não me apaga com falsos redemoinhos de sua perdição mental. Se encontra e me ganha. Ou se perde de uma vez e eu sumo. Se enlouquece de volta ou deixa-me desenlouquecer. Porque a verdade é que no fundo eu sempre sei que você ainda tem uma chance de me virar as pernas, me colocar de branco e viver uma fantasia nem tão perfeita, mas que a gente sente em imensidão. No fundo, eu sempre estou pronta para voltar a ver o nascer, o pôr do Sol e a Lua contigo. - Luísa Monte Real

Textos mais queridos 🍒